Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal; Acessar formulário de pesquisa. Acessar mapa do site.

Em audiência no MPTO, gestores da saúde do Estado prestam esclarecimentos sobre fechamento de portões no HGP há duas semanas

Atualizado em 30/11/2021 17:07

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) realizou na última sexta-feira, 26, audiência administrativa com representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para discutir a medida de contingenciamento à superlotação implantada no Hospital Geral de Palmas (HGP) que resultou no fechamento dos portões do pronto atendimento no dia 13 de novembro. 


 
A reunião foi designada pelo promotor de Justiça Thiago Ribeiro, titular da 19ª Promotoria de Justiça da Capital, que atua na área da saúde pública. 


 
O promotor de Justiça André Varanda, que estava de plantão no dia em que foram fechados os portões do HGP, participou do encontro e afirmou que a decisão dos gestores de saúde poderia ter resultado no óbito dos pacientes que necessitavam de atendimento.


 
Questionado pelo motivo que levou à iniciativa, o secretário de Estado da Saúde, Afonso Piva, informou que foi comunicado, via documento emitido pelo diretor técnico do HGP, no dia anterior, que a medida foi tomada em razão da superlotação de setores do hospital, como a sala vermelha e a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).


Segundo ele, a unidade não tinha condições de receber novos pacientes que não se enquadravam no público de atendimento do HGP e que, mesmo assim, eram encaminhados erroneamente para a unidade de saúde. Esclareceu que, apesar do bloqueio do portão do pronto atendimento, os pacientes passavam por triagem e aqueles que não tinham condições clínicas para retornar às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e hospitais de pequeno porte, eram atendidos no hospital.


O intuito, nas palavras do secretário, foi diminuir a superlotação no HGP e proporcionar qualidade na prestação do serviço de saúde aos pacientes e que, no período de 24 horas, o número de pessoas no corredor da unidade hospitalar foi reduzido em 50%.


 
Ampliação de leitos


 
Por fim, foi relatado que está prevista a ampliação de 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva no estado para os próximos 15 dias, no sentido de dobrar o número de leitos de UTI no HGP.