Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal; Acessar formulário de pesquisa. Acessar mapa do site.

MPTO viabiliza convênio histórico com UFT para oferecer doutorado em Gestão de Políticas Públicas a seus integrantes

Atualizado em 17/05/2024 00:00

O Procurador-Geral de Justiça, Luciano Casaroti, e a Diretora-Geral do Cesaf/ESMP, Vera Nilva Álvares Rocha Lira, participaram de uma reunião virtual nesta quinta-feira, 16, com representantes da Universidade Federal do Tocantins (UFT). O objetivo do encontro foi garantir seis vagas para integrantes do Ministério Público do Tocantins (MPTO) no programa de doutorado em Gestão de Políticas Públicas.



Esse será o primeiro convênio do MPTO para a oferta de doutorado aos seus membros, sendo que todas as despesas serão custeadas pela instituição.



O convênio prevê que cinco vagas sejam destinadas aos membros do MPTO e uma vaga para servidores. As instituições já estão trabalhando na documentação necessária para formalizar o acordo.



Após sua assinatura, será lançado um edital de inscrição, no qual os interessados deverão apresentar seus projetos de pesquisa, de acordo com uma das três linhas de pesquisa definidas:1) Dinâmicas institucionais e avaliação de políticas públicas; 2) Educação, ciência e tecnologia e desenvolvimento territorial; e 3) Políticas públicas, promoção de direitos e dinâmicas territoriais.



Essa iniciativa demonstra o compromisso da administração em investir na qualificação dos integrantes do Ministério Público, proporcionando uma oportunidade única de aprimoramento profissional e acadêmico de alto nível. “Por meio desse programa de doutorado, vamos aprimorar a nossa atuação no campo das políticas públicas e contribuir para o desenvolvimento de soluções inovadoras, eficientes e adequadas às necessidades reais e urgentes da sociedade tocantinense”, disse o procurador-geral de Justiça, Luciano Casaroti.


Realizado pela UFT, o curso tem previsão de início para o segundo semestre deste ano. Entre os seus objetivos, estão formar profissionais capazes de realizar estudos complexos para tomadas de decisões mais eficazes que envolvam todo o ciclo das políticas públicas, fomentando melhorias nas diversas práticas da administração pública.



“Como diretora da Escola Superior, a consecução de um doutorado para membros e servidores era uma postulação alvissareira para o quadro de docentes e para a qualificação dos serviços ministeriais ligados as políticas públicas e sua efetividade social”, declarou Vera Nilva



A exposição sobre o Programa de Doutorado Profissional em Gestão de Políticas Púbicas foi realizada pelos professores doutores Waldecy Rodrigues, coordenador adjunto da Capes da Área de Planejamento Urbano e Regional; e Alex Pizzio, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, ambos apresentando o Programa de Pós-graduação Profissional em Gestão de Políticas Públicas.



Presenças


Por parte do MPTO, também participaram da reunião os promotores de Justiça André Ricardo Fonseca Carvalho, André Henrique Oliveira Leite, Cynthia Assis de Paula, Elizon de Sousa Medrado, Flávia Rodrigues Cunha, João Edson de Souza, Luiz Francisco de Oliveira, Sidney Fiore Júnior e a procuradora de Justiça Maria Cotinha Bezerra Pereira, além do chefe do Departamento de Planejamento, João Ricardo Araújo, e a encarregada de área Luciele Marchezan. A promotora de Justiça Isabelle Rocha Valença designou representante.


Cursos de pós-graduação


Convênios já possibilitaram a oferta de dois cursos de mestrado, sendo um com a Escola Superior da Magistratura e outro com a própria UFT.



Além disso, o próprio MPTO já concluiu um curso de especialização e está em execução o segundo curso.