Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal, atalho ctrl shift 1. Acessar formulário de pesquisa, atalho ctrl shift 2. Acessar menu, atalho ctrl shift 3. Acessar mapa do site, atalho ctrl shift 4. Para voltar ao menu de acessibilidade tecle ctrl shift 0.
Acessibilidade Alto contraste
+
Tamanho de texto

Ctrl/Cmd + para aumentar

Ctrl/Cmd - para diminuir

Ctrl/cmd 0 para voltar ao padrão

Ministério Público do Estado do Tocantins

Destaque

Coordenador do Caopij vai compor GT para diagnóstico do sistema socioeducativo nacional

Daianne Fernandes


O promotor de Justiça do Ministério Público Estadual (MPE) e coordenador da Comissão Permanente da Infância e Juventude (COPEIJ) do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), Sidney Fiori Júnior, foi indicado para compor o Grupo de Trabalho que vai realizar um diagnóstico atualizado do Sistema Socioeducativo do país.


O grupo está sendo criado pela Comissão da Infância e Juventude do Conselho Nacional do Ministério Público (CIJ/CNMP) e Ministério de Direitos Humanos. O objetivo é debater e planejar, em conjunto com o Governo Federal, os custos necessários para a promoção da socioeducação em todo o País.


A iniciativa ocorreu em reunião realizada no último dia 23 de maio, entre o conselheiro do CNMP e presidente da CIJ, Leonardo Accioly, e o ministro de Direitos Humanos, Gustavo Rocha, na sede da Vice-Presidência da República, em Brasília. Na ocasião, foi discutido o fortalecimento do sistema socioeducativo do País, além da necessidade de apuração do panorama atual desse sistema e da imprescindibilidade de financiamento público federal para a promoção da socioeducação.


O Promotor de Justiça Sidney Fiori Junior, que também coordena o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e Juventude (Caopij) do MPE, compareceu ao encontro, que ainda teve participação dos membros auxiliares da CIJ, Darcy Leite e Andrea Teixeira, e dos promotores de Justiça Márcio Rogério de Oliveira (MP/MG), Renato Barão (MPDFT) e Renato Lisboa (MP/RJ). (Com informações do CNMP e MDH).

Publicado em