Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal, atalho ctrl shift 1. Acessar formulário de pesquisa, atalho ctrl shift 2. Acessar menu, atalho ctrl shift 3. Acessar mapa do site, atalho ctrl shift 4. Para voltar ao menu de acessibilidade tecle ctrl shift 0.
Acessibilidade Alto contraste
+
Tamanho de texto

Ctrl/Cmd + para aumentar

Ctrl/Cmd - para diminuir

Ctrl/cmd 0 para voltar ao padrão

Ministério Público do Estado do Tocantins

Destaque

Depois de cinco adiamentos, julgamento de Fábio Pisoni está marcado para este mês

Flávio Herculano


Está marcada para o próximo dia 24, em Gurupi, a sessão do Tribunal do Júri em que irá a julgamento o réu Fábio Pisoni, acusado pelo homicídio do estudante universitário Vinícius Duarte de Oliveira e pela tentativa de homicídio do também estudante Leonardo Veloso Melo.


A sessão plenária do júri já sofreu cinco adiamentos anteriores, o que foi considerado pela Promotoria de Justiça como uso sucessivo de manobras, por parte da defesa, para retardar e dificultar o julgamento, visto que a pronúncia do réu foi realizada ainda em fevereiro de 2013. “Pela gravidade do crime, há necessidade de resguardar a ordem pública e a credibilidade na ação da Justiça, fazendo com que o tribunal de júri ocorra o mais rápido possível”, expôs a Promotora de Justiça Ana Lúcia Gomes Vanderley Bernardes.


Os crimes ocorreram há dez anos, em dezembro de 2007, na cidade de Gurupi. Segundo a denúncia criminal, Fábio efetuou vários disparos de arma de fogo contra o carro em movimento no qual estavam as duas vítimas e outras pessoas. O motivo teria sido uma discussão iniciada em uma festa.


A vítima Vinícius Duarte de Oliveira tinha 21 anos e foi atingida por dois tiros, sendo um deles no coração, não resistindo aos ferimentos. Já a vítima Leonardo Veloso Melo sofreu lesões na cabeça.


O réu é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) pela prática de homicídio triplamente qualificado, por tentativa de homicídio triplamente qualificado e por porte ilegal de arma de fogo. As qualificadoras para os crimes consistem em motivação fútil, no uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas e na exposição a riscos de outras pessoas que se encontravam no veículo que foi alvejado e na via pública onde ocorreram os disparos.

Publicado em