Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal, atalho ctrl shift 1. Acessar formulário de pesquisa, atalho ctrl shift 2. Acessar menu, atalho ctrl shift 3. Acessar mapa do site, atalho ctrl shift 4. Para voltar ao menu de acessibilidade tecle ctrl shift 0.
Acessibilidade Alto contraste
+
Tamanho de texto

Ctrl/Cmd + para aumentar

Ctrl/Cmd - para diminuir

Ctrl/cmd 0 para voltar ao padrão

Ministério Público do Estado do Tocantins

Destaque

Ato normatiza teletrabalho do âmbito do Ministério Público Estadual

Flávio Herculano


O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) avaliou sem ressalvas, na sessão ordinária desta terça-feira, 6, o Ato nº 11/2018 do Procurador-Geral de Justiça, o qual normatiza o teletrabalho no âmbito do MP-TO.


Segundo o Ato, poderão exercer suas funções fora das dependências do Ministério Público os servidores que atuam na área de atividade-fim e, cumuladamente a essa condição, tenham deficiência comprovada por junta médica, possuam filho menor ou cônjuge com deficiência comprovada ou sejam lactantes até o primeiro ano de vida do filho. No teletrabalho, os servidores devem utilizar os recursos tecnológicos necessários, o que ocorrerá às suas expensas.


Fica vedado o regime de teletrabalho aos servidores ocupantes de cargos de confiança, direção, chefia e assessoramento, os que tenham sofrido penalidade disciplinar nos últimos dois anos, os que tenham tido o teletrabalho suspenso ou revogado anteriormente, que estejam fora do país ou que não tenham concluído o período de estágio probatório.


A redação do ato foi orientada pela Resolução nº 157/2017 do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Após passar pelo órgão colegiado, o documento foi encaminhado de volta ao PGJ, que decidiu por sua publicação.


Vitaliciamento
Os integrantes do Conselho Superior também aprovaram relatórios da Corregedoria-Geral do Ministério Público acerca do vitaliciamento dos promotores de justiça substitutos Luma Gomides de Souza, Juliana da Hora Almeida e Rogério Rodrigo Ferreira Mota.


Remoção e Promoção
Durante a sessão, foi encaminhado à Secretaria do Conselho Superior, para que seja distribuída a um relator, uma proposta de alteração da Resolução nº 01/2012 do CSMP que tem como finalidade permitir a análise de admissibilidade das inscrições  para os concursos de remoção/promoção se deem em sessão extraordinária do Conselho, antes do julgamento dos editais. A proposta é de autoria do Promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira.


Também de autoria do Promotor de Justiça Paulo Alexandre, uma outra proposta relacionada aos concursos de remoção/promoção teve sua votação adiada para sessão extraordinária posterior. Neste caso, a proposta refere-se aos concursos que se encontram em andamento e visa alterar o prazo para inclusão, na ficha funcional, das informações que gerarão a pontuação dos concorrentes.


Preparação para a carreira
O Conselho Superior também aprovou resolução que institucionaliza projeto pedagógico do Curso de Preparação para o Ingresso na Carreira do Ministério Público do Estado do Tocantins, com carga horária mínima de 167 horas.

A sessão foi acompanhada por membros e servidores, incluindo o presidente da Associação Tocantinense do Ministério Público (ATMP), Promotor de Justiça Luciano Casaroti.

Publicado em