Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal, atalho ctrl shift 1. Acessar formulário de pesquisa, atalho ctrl shift 2. Acessar menu, atalho ctrl shift 3. Acessar mapa do site, atalho ctrl shift 4. Para voltar ao menu de acessibilidade tecle ctrl shift 0.
Acessibilidade Alto contraste
+
Tamanho de texto

Ctrl/Cmd + para aumentar

Ctrl/Cmd - para diminuir

Ctrl/cmd 0 para voltar ao padrão

Ministério Público do Estado do Tocantins

Destaque

Atendimento ao cidadão é tema de qualificação no CNMP, em Brasília.

Daianne Fernandes


Sempre em busca de uma melhor qualidade no atendimento ao cidadão, servidores do Ministério Público do Tocantins (MPTO) participaram do curso “Atendimento e Escuta ao Cidadão”, oferecido pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília, no último mês.


As servidoras do Setor de Atendimento ao Cidadão (Saci) da Ouvidoria do MPE, Cristiane Presbítero Toscano Barreto Wahbe e Marijara Fonseca Ayres participaram do curso de capacitação, que abordou temas como a escuta qualificada no setor público, a excelência no atendimento e estudo de casos especiais de atendimento ao cidadão com deficiência mental, alcoolismo ou dificuldade de expressão, dentre outros.


O curso foi promovido pela Unidade Nacional de Capacitação do Ministério Público (UNCMP), em parceria com a Ouvidoria do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), e inaugura a iniciativa “Cooperação intrainstitucional na realização de eventos de capacitação em conjunto com as comissões e unidades do CNMP”.


Na abertura do curso, o presidente da UNCMP, conselheiro Lauro Nogueira, destacou a importância do papel servidor no contato inicial com o cidadão, reforçando que ele é a primeira porta a que o cidadão tem acesso quando chega ao Ministério Público.


Quem também participou da abertura do evento foi o ouvidor nacional do Ministério Público, conselheiro Erick Venâncio. “Atendimento é a joia rara do sistema de Ouvidoria. A informação que é recebida pelo cidadão tem valor estratégico, pois é usada para traçar políticas no desenvolvimento da gestão dos MPs e serve para compreendermos nossos erros e deficiências na condução dos casos concretos”, disse.

Publicado em